domingo, 10 de abril de 2011

Soneto de uma nação em luto

Essa semana foi marcada por um fato sem precedentes na história do país, que foi o caso da Escola Municipal Tássio da Silveira. O "Massacre de Realengo" foi noticiado a exaustão e, mesmo assim, a sensação de dor e tristeza diante dessa brutalidade se mantém e pode-se dizer que cresce a cada dia. Doze crianças mortas, outras feridas, todas traumatizadas e um Brasil em luto foi o resultado de uma ação que queríamos poder voltar no tempo e impedir.

Por conta disso, em meio a tantas homenagens e desabafos, resolvi na minha simplicidade escrever esse poema. Espero que gostem e comentem desse pequeno desabafo em forma de versos.

Tanta vida para viver
Tantos sonhos a realizar
Tantos Sóis a ver nascer
Tantas festas para dançar

O fio foi cortado
Os sonhos terminados
Pranto, raiva e sorriso
Tudo, de repente, encerrados

Em um dia se marcou
E na escola, antes querida,
Tudo terminou.

Tristeza, choque e desolação
A nação de luto coberta está
Por aqueles que nunca mais voltarão.

2 comentários:

Carissinha disse...

Foi muito chocante o que aconteceu.

Já te disse isso, mas adorei a poesia. Parabéns por ter transmitido em palavras, o que todos nós sentimos.

Beijos!!

Tem um selinho pra tu lá no meu blog.

Sonia Regina disse...

WOW!!! Não sabia que vc era uma poetisa... Amei!!! Bjs

Postar um comentário

Conte o que você achou da postagem