domingo, 10 de abril de 2011

Soneto de uma nação em luto

Essa semana foi marcada por um fato sem precedentes na história do país, que foi o caso da Escola Municipal Tássio da Silveira. O "Massacre de Realengo" foi noticiado a exaustão e, mesmo assim, a sensação de dor e tristeza diante dessa brutalidade se mantém e pode-se dizer que cresce a cada dia. Doze crianças mortas, outras feridas, todas traumatizadas e um Brasil em luto foi o resultado de uma ação que queríamos poder voltar no tempo e impedir.

Por conta disso, em meio a tantas homenagens e desabafos, resolvi na minha simplicidade escrever esse poema. Espero que gostem e comentem desse pequeno desabafo em forma de versos.

Tanta vida para viver
Tantos sonhos a realizar
Tantos Sóis a ver nascer
Tantas festas para dançar

O fio foi cortado
Os sonhos terminados
Pranto, raiva e sorriso
Tudo, de repente, encerrados

Em um dia se marcou
E na escola, antes querida,
Tudo terminou.

Tristeza, choque e desolação
A nação de luto coberta está
Por aqueles que nunca mais voltarão.

2 comentários:

Carissinha disse...

Foi muito chocante o que aconteceu.

Já te disse isso, mas adorei a poesia. Parabéns por ter transmitido em palavras, o que todos nós sentimos.

Beijos!!

Tem um selinho pra tu lá no meu blog.

Sonia Regina disse...

WOW!!! Não sabia que vc era uma poetisa... Amei!!! Bjs

Postar um comentário