domingo, 1 de novembro de 2009

The Vampire Diaries



Tudo bem as pessoas falarem que Vampiros estão na moda. Concordo em certo ponto. Saiu Crepúsculo no cinema - uma saga bestseller (e que eu adoro!) de Stephenye Meyer; Tru Blood na HBO; e agora chega às livrarias brasileiras (e tv) a série literária "The Vampire Diaries" junto com o seriado homônimo. E é sobre esses últimos que eu vou falar nesse post.

Eu comecei lendo o primeiro livro: O despertar. Minha reação ao livro foi que ele era uma droga. Extremamente arrastado só engrenou no final, para terminar com um to be continued. Eu fiquei com raiva dos papéis principais que eram muito chatos e o "vilão" me conquistou.

E veio a série. E toda a minha concepção mudou! Eu assisti o primeiro episódio só pra ver se iam manter a chatice do livro... e me surpreendeu enormemente. A série conseguiu captar o que havia de maravilhoso na história. Os atores conseguiram transformar os seus personagens em algo real, com defeitos e qualidades apaixonantes. O protagonista Stephen Salvatore interpretado por Paul Wesley é a visão da humanidade num morto vivo; Elena Gilbert é uma adolescente com qualidades e defeitos como todas o que ajuda na identificação; Damon Salvatore é a imagem da crueldade vampiresca, ao mesmo tempo de ser o personagem mais rico da trama. Damon é aquele personagem que você odeia e dois minutos depois ele te surpreende e você se apaixona por ele de novo.

Eu não posso falar muito a respeito, porque senão tirarei um pouco da surpresa. Resolvi escrever esse post para justamente expôr meu mais novo vício. Uma série fantástica com uma trilha sonora perfeita, atores que apesar de jovens brilham, personagens complexos apesar da sinopse tida como comum.

Vale a pena assistir.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Como se fosse a primeira vez

Eu estava na aula de Historiografia da minha faculdade, quando ao discutirmos a respeito da micro-história. O principal autor desse estilo, Carlo Ginzburg, em um de seus textos de Teorização acaba mencionando que é impossível resgatar o passado em sua totalidade. A História seria justamente a caça desses vestígios, resgatando o passado até mais recente, já que nunca iremos resgatá-lo em toda sua forma.
E eu fiquei pensando, o historiador deveria agir como se perdêssemos a memória a cada 24 horas. O que se passou não poderia ser resgatado no fundo de nossa mente, como fazemos normalmente, certo? Teríamos que buscá-lo através de vestígios, pequenos detalhes que para nós HOJE não fazem muita diferença, mas que nesse caso nos ajudariam a resgatar o que foi perdido.

Lancei a pergunta no twitter e a resposta de uma amiga minha e seguidora me chamou a atenção. Ela mencionou que aproveitaríamos muito mais a vida se perdêssemos a memória nesse ritmo. Seria verdade?! Continuaríamos seguindo em frente a cada dia para mais uma aventura ou simplesmente acabaríamos tentando voltar ao nosso passado e descobrir o que aconteceu? Ou simplesmente, viveríamos a mesma coisa todos os dias da mesma forma, como se fosse um ciclo? Pelo menos nos pouparia da rotina, certo?

Esse post foi mais um desabafo. Essa visão da minha profissão foi bem interessante na minha formação, pois me faz ter um objetivo mais didático e interessante pra mim. Caçar vestígios do passado... saber o que aconteceu... como chegamos aqui... As perguntas com relação ao tema e a realidade continuam abertas a respostas. Como falei esse é um blog onde posso colocar minhas idéias pra discussão. Quem tiver algo interessante a colocar sinta-se a vontade.

sábado, 27 de junho de 2009

Explicando o filme Speed racer


Hoje eu estava vendo pela segunda vez o filme "Speed Racer"... muitos vão olhar isso e dizer: Que falta do que fazer! Ou, Mais um filme sem conteúdo nenhum. Eu consegui achar muita coisa interessante até mesmo histórica/ filosófica esse filme... Não! Não sou maluca! Por isso, eu estou passando para esse blog uma resenha minha a respeito desse filme... É interessante, confesso, voei muito na hora de escrevê-la, mas eu realmente vi isso tudo naquele filme!
Lá vai!

EU VI SPEED RACER! - Minha frase predileta logo após o término do filme.
Basicamente o filme conta história de Speed Racer, um jovem piloto de corridas de carros - que mais se parecem um "vale-tudo automobilístico" - marcado pela tragédia da morte do seu irmão mais velho Rex Racer num acidente em uma corrida e que após uma corrida espetacular recebe propostas de patrocínio de super empresas. Ao recusar uma grande proposta, acaba entrando numa luta contra os cartéis de corridas carros (que definem os resultados, e transformam tudo em lucro para si), e para tentar vencer, ele vai contar com a ajuda do investigador e, de ninguém mais ninguém menos que o Corredor X.

O Corredor X merece um parágrafo a parte. Não só porque ele sempre foi o meu personagem favorito, nem por causa de seu intérprete ( Matthew Fox - o "Jack" de Lost e o "Charlie" de Party of Five), porém pelo fato de que ao aparecer, ele simplesmente rouba a cena. Com sua personalidade misteriosa, o "Arauto das Batidas" como é apelidado, quando entra numa corrida, entra para ser percebido. Descobrimos que ele trabalha com a CIB - órgão investigativo do filme/desenho - a fim de desmantelar os cartéis. Além de pilotar carros de maneira fantástica e lutar com ninjas, ele mostra ser o personagem mais humano e com grandes conflitos relacionados ao seu passado por dentro da máscara e do jeitão durão e sarcástico.

A família Racer é algo digno de um comentário. Com suas brigas e seu modo de viver, o elemento caracterizador é o Amor. Entre pais e filhos, entre irmãos, entre a família no todo. Dentro desse item ainda, não podíamos deixar de falar de dois outros personagens que roubam a cena também, porém ao proporcionarem altas gargalhadas que são O Gorducho e o Zequinha. A Trixie apesar de pouco explorada, traz momentos hilários como ao protagonizar uma DR com Speed no meio de uma corrida.

Meu lado historiadora não poderia ficar de fora. Mesmo com tantas luzes, efeitos visuais excelentes (e pirotécnicos), uma sessão nostalgia ao lembrar do desenho, e admiração feminina pelo Racer X (não pude evitar!) meu lado CDF acadêmico conseguiu se manifestar e perceber detalhes que nem eu sabia que poderia notar (Estou evoluindo!!! kkkk)

Bem... comecemos com a análise básica de que é um filme dos irmãos Wachowsky e que eles sempre incutem algo de filosófico e político em todos os seus filmes. E nesse, não podia ser diferente. Como falei antes o filme trata da luta de Speed Racer contra os cartéis. Cartéis nada mais são do que uma imagem perfeita do capitalismo. Empresas que controlam e detém verdadeiros monopólios a fim de gerar cada vez mais lucros, criam pseudo-concorrentes somente para gerar lucros para si e mais transformam tudo, seja o prazer de se fazer algo ou os anseios de vencer numa corrida, num sinonimo de lucro, dinheiro e poder... para si. O filme traça desde o seu início uma crítica ferrenha ao sistema capitalista que é o mesmo que negocia, gere e manipula (com meios altamente desonestos) os sistemas de corridas do filme. Speed Racer e o Corredor X encarnam as figuras da resistência. Pessoas que amam o que fazem e se vêem obrigados a arriscar suas vidas em prol de destruir essas empresas que simplesmente os obrigam a se vender para sobreviver. Apesar de terem objetivos comuns, os dois fornecem a visão dos dois tipos de resistentes. Speed que luta na cara e coragem, com a ajuda de sua família e consegue outros aliados de peso durante o filme e vence.. mostrando haver uma esperança contra o sistema imperante; e o Corredor X que se vê obrigado a tomar decisões duras que mudam a sua vida para sempre, para lutar e proteger a pessoa que realmente importa... Speed Racer. Para quem já via o desenho entende a decisão, para quem não via e não sabe... assistam o filme... é extremamente emocionante a história de vida desse personagem.

Concluindo. O filme é sim um filme pipoca, divertido demais, eletrizante (literalmente), nostálgico, consegue ser em vários momentos melhor que o desenho. Além de fazer você rir, chorar, se apaixonar e (se você for igual mim) pensar: Existe meios de se fazer o que você realmente ama sem morrer de fome, ou sem ter que passar por cima de seus valores? Speed acha que sim. Racer X também. Engrosso o coro dizendo que devemos ter esperança.
Termino cantando a música clássica do desenho que foi remixada para o filme: GO SPEED RACER!!!!"

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Dia 25 de Maio - Dia do Orgulho Nerd



Pois é. Os nerds (categoria a qual eu me incluo por maioria de votos) ganharam um dia só pra eles!!! A priori, isso aconteceu em 2006 na Espanha, e se popularizou através da Internet, fazendo com que nerds de todo mundo comemorasse um dia deles... Algo inimaginável alguns anos atrás...

O que é ser um nerd?
* No estereótipo, traçado pela tv, cinema, etc: Aquele sujeito sem gosto de se vestir, com um óculos fundo de garrafa, Intelectualizado ao extremo, que nunca faz besteira, super tímido, esforçado além da conta nas coisas que lhe interessa, Gosta de Star Wars/ Star Trek/ Ax/ Fanfictions/ Computadores, "pega" ninguém, ... coisas desse nível.
* No real: Sabemos nos vestir, nem sempre temos problemas visuais, qual o problema de gostar de coisas inteligentes?!, a maior parte é tímida (porém sensíveis e emotivos também!), gostamos de ficção científica inteligente (Assim como tem gente que gosta de comédia besteirol...) e temos relacionamentos sérios ou descompromissados também.

Existe um pequeno manual nerd na net, com direitos e deveres! Achei muito legal e interessante! Vale a pena postar para vocês!

Direitos:
O direito de ser ainda mais nerd.
O direito de não sair de casa.
O direito de não gostar de futebol ou de qualquer outro esporte.
O direito de se associar a outros nerds.
O direito de ter poucos (ou nenhum) amigo.
O direito de ter tantos amigos nerds quanto quiser.
O direito de não ter que estar "no estilo".
O direito ao sobrepeso (ou subpeso) e de ter problemas de vista.
O direito de expressar sua nerdice.
O direito de dominar o mundo.

Deveres
Ser nerd, não importa o quê.
Tentar ser mais nerd do que qualquer um.
Se há uma discussão sobre um assunto nerd, você tem que dar sua opinião.
Guardar todo e qualquer objeto nerd que você tenha.
Fazer todo o possível para exibir seus objetos nerds como se fosse um "museu da nerdice".
Não ser um nerd genérico. Você tem que ser especialista em algo.
Assistir a qualquer filme nerd na noite de estréia e comprar qualquer livro nerd antes de todo mundo.
Esperar na fila em toda noite de estréia. Se puder ir fantasiado, ou pelo menos com uma camisa relacionada ao tema, melhor ainda.
Não perder seu tempo em nada que não seja relacionado à nerdice.
Tentar dominar o mundo!


Por último, vale a pena mencionar os nossos porta-vozes da televisão! Personagens que encantaram o mundo inteiro apesar de sua característica considerada depreciativa!

Bones: O time todo merece destaque... Todos são nerds até o último fio de cabelo, mas extremamente sensíveis e cômicos ao seu jeito! E melhor, a maioria se diferencia dos estereótipos fornecidos pela mídia.

Pistoleiros Solitários: Os símbolos! Lançados pelo seriado Arquivo X, o trio cativou os excers com seu jeito excêntrico em ajudar Mulder e Scully a resolver seus mistérios. Sempre com um software certo e hackeando todos os sistemas disponíveis. Eles são os ídolos nesse mundo.

Para finalizar, abraços a todos que se identificam com essa "tribo urbana" (definição da wikipédia) e PARABÉNS PARA NÓS!!!

domingo, 24 de maio de 2009

Sábado, Jonas Brothers e Lembranças

Não. Eu não sou fã da banda Jonas Brothers. Mas qualquer pessoa que viva no Brasil esse fim de semana, senão os conheciam, passaram a conhecer. Tudo porque 1º - Eles estavam em todos os canais e programas na TV de ontem e hoje (É Fantástico...). 2º - eles iriam realizar um show na Apoteose e levar centenas de adolescentes histéricas e ansiosas para cantar as músicas com eles e apertarem a mão do Nick (O mais velho dos irmãos, senão me engano...)!
Eu estava indo para o trabalho na manhã de Sábado, e claro tinham duas adolescentes (que valiam por dez) ansiosíssimas para estarem no show... que iria começar as 19:30! Meu pensamento? Podendo ficar dormindo, elas quiseram passar o dia debaixo do Sol esperando numa fila gigante para entrar num show? Não, eu não sou uma velha ranzinza. Eu só percebi que havia passado dessa fase em que tudo é festa.
Depois que as meninas desceram, todos se perguntavam quem eram esses "Jonas alguma coisa" Eu posso dizer que já havia lido a respeito e ouvido a respeito deles, mas não conhecia nenhuma música. Uma mulher sentou do meu lado e simplesmente falou: "Eu lembro que na minha época eram os Menudos, mas nunca fiz sacrifícios assim!"

Essa é a inspiração pro tópico de hoje. As vezes, não entendemos mais o furor dessas adolescentes com suas bandas, astros, filmes pelo fato de que a gente passou da fase e nem lembra (ou não quer lembrar por se sentir constrangido) por "suas loucuras" nessa época. Eu sou da geração (agora, de jovens adultos) em que Leonardo diCaprio era o homem mais lindo do planeta, Titanic o filme pop, Chiquititas era o grupo e novelinha perfeita e BackStreet Boys era a melhor boyband do mundo! Tinha pôsteres grudados no meu quarto do Leo diCaprio, fui no show da Chiquititas (eis o emabaraço em questão! rs), cantava as músicas do BSB decoradas e assisti 200.000 vezes Titanic. Agora, o "ser que vos fala" bem queria recriminar as meninas e adolescentes que atualmente são loucas por Jonas Brothers e McFly, que fizeram de Crepúsculo O filme, Robert Pattison o cara mais gostoso do planeta e RBD a banda e a novela pops! Sem condições...

Esse post é uma reflexão pura e simples a respeito das fases da nossa vida. Não podemos dizer que não-sei-quem é louco, se quando éramos adolescentes fizemos tudo isso, e amamos bandas incondicionalmente... Quantas vezes, desejamos apenas ter um autógrafo ou pegar na mão no vocalista. Foi uma época em que curtimos tanto com nossos hormônios a flor da pele a nossa maneira. Espero realmente que todas as garotas e garotos tenham saído desse show com a terça parte da alegria que eu senti quando foi minha época.

Eu me considero uma grande adolescente e criança que agora assumiu responsabilidades enormes na vida, mas que se mantém curtindo tudo sem preconceito, como Crepúsculo, Menudos e Elvis. Cada um de uma época em específico, mas que marcaram uma geração inteira.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Os gordinhos estão em alta!




Eu estava vendo o programa do Jô e pensando como era fofo a dança dele no início do programa. E do nada, eu parei para refletir o quão contraditório o mundo é. Apesar de estarmos no tempo de modelos morrendo de fome e sofrendo de bulimia ou anorexia, para aparecerem naquelas passarelas e revistas de moda como um exemplo a toda mulher do mundo, Os gordinhos e gordinhas acabaram ganhando seu espaço na mídia, seja televisiva, esportista ou quadrinhos.

E para homenagear essas pessoas que estão fora do "padrão" completamente bitolado da moda e possui suas gordurinhas a mais sem a menor vergonha, inspirada no Lista 10 do Thales, eu fiz uma pequena listinha de 10 gordinhos pops!

1 - Jô Soares - Pra mim, o gordinho mais sexy do Brasil... Inteligente ao extremo e dono de um humor fantástico, ele é o grande nome da galera da madruga (eu, como um exemplo!) com entrevistas inteligentes e bem humoradas.

2 - Hurley(LOST) - Esse personagem da série de maior popularidade no mundo inteiro, não podia faltar. As brigas entre partidários ou não dos shippers ou de determinadas teorias se calam quando é para falar deste personagem. Engraçado, Boa praça e sempre disposto a ajudar, ele é o personagem mais querido de Lost, e tratado com muito carinho por todos os assíduos telexpectadores.

3 - Ronaldo Fenômeno - O três vezes melhor do mundo enche a paciência pela quantidade de vezes que aparece nos noticiários esportivos e gerais, pelas asneiras que fala, ou por jogar no Corínthians. Mas é FATO. Mesmo com uns quilinhos a mais ele faz passes geniais e golaços. É o nome do esporte e da vinheta enjoada do Pânico na TV.

4 - Mônica - Apesar de distribuir coelhadas para todos os lados ao ser chamada de gorducha por Cebolinha e Cascão, ela é o exemplo de personagem amada por todas as crianças, e agora, jovens que liam os gibis de Maurício de Souza (na época que eram baratos). O seu jeitinho baixinha, gorducha e dentucinha é marcante e nã opodia deixar de estar aqui.

5 - Seu Barriga (Chaves) - Pára! Quem não lembra desse personagem que marcou, e ainda marca, gerações cobrando o aluguel do Seu Madruga?!

6 - Papai Noel - O bom velhinho é sempre caracterizado como um gordinho de roupa vermelha e é amado por todas as crianças por sair distribuindo presentes na noite de Natal. Quem nunca ficou esperando o presente (querendo pegar o Papai Noel no flagra) que atire a primeira pedra!

7 - Faustão e Galvão Bueno - Chato toda vida, falando o tempo todo e não deixando ninguém mais falar. OU falando besteira atrás de besteira num simples narrativa futebolística ou de Fórmula 1. A verdade é: Eles monopolizaram as tardes de domingo da Globo com o seu programa e futebol desde que a Globo é Globo! por isso, merecem estar juntos no mesmo tópico.

8 - Beiçola (A Grande Família) - Esse dono da pastelaria em frente da casa do Lineu é uma figura especial. Apaixonado pela Dona Nenê, Devoto de sua mãe morta, ele tem um jeito todo pão-duro, mas é amado por toda a Grande Família e seus expectadores.

9 - João Gordo - Da banda Ratos de Porão a MTV. Ele se tornou famoso pelas sua esquisitices e entrevistas um pouco agressivas.

10 - Garfield - O gato lindo que odeia segundas-feiras e adora lasanha não poderia flatar na listinha. Não preciso nem falar nada, né?!

Se tiverem mais idéias ou nomes comentem e postem. Esse foi um momento louco meu... rs. Nem adianta falar falta do que fazer: Eu tenho textos e textos pra estudar e trabalhar, mas estou aqui... rsrsrs

Abraços até a próxima!

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Problemas com monografia

Eu confesso: eu me encontro com problemas para escrever a minha monografia, vulgo Trabalho de Conclusão de Curso. Inspiração zero, apesar de leituras muitas. Não consigo escrever nada.
Devido a isso, o assunto na minha turma foi o vídeo fantástico que esse grupo realizou!!! Eles fizeram uma piada engraçada e perfeita com a pior fase de um ser universitário (como eu!) A Monografia.

Clique no link, carreguem e assistam! (E, principalmente, sintam-se vingados... hehehe)

Como fazer uma monografia pseudo-intelectual nota 10

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Apresentações

Bem, esse é um post quase de boas vindas!

Esse blog surgiu da idéia de compartilhar algumas dúvidas ou momentos de reflexão que eu faço sozinha. Algumas coisas que realmente me deixam irritadas, outras sem noção. Coisas como minhas paixões e hobbies (como séries Lost, Bones, Twilight, História - hobbie e profissão - Literaturas no geral e coisas inúteis mesmo)

Bem essa é minha maneira de apresentar esse blog que vai ter de tudo e nada em específico!

Por favor, só peço pra comentarem o máximo possível... Não sou famosa, nem comediante, mas realmente gostaria de ter um feedback.

Abraços a todos.