quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

Falando sobre ansiedade



Ter ansiedade é normal. É uma química que o nosso corpo produz para nos ajudar a sobreviver. Assim como o medo, eles são necessários para garantir que nós venhamos a resistir aos perigos e inimigos possíveis e não fazer burradas que nos levem a morte.

O problema é que, assim como o medo, a ansiedade deixou de ser apenas um recurso do corpo humano e passou a ser uma reação mais comum dentro do corpo, mais desequilibrada, acontecendo em momentos que não há razão. Descontrolada. Nos dias hoje, com muita tecnologia e um tempo cada vez mais acelerado, a ansiedade cresce nas pessoas como um grande monstro.

Algumas pessoas dentre as 8 bilhões que existem no mundo (e esse número cresce a cada dia), desenvolvem transtornos de ansiedade que é um total descontrole dessa atividade química. Um descontrole que acarreta numa atividade desregular do cérebro provocando pânicos quando tudo deveria estar calmo, trazendo pensamentos horríveis e sem nenhuma razão de existir, aumentando medos e fazendo com que pareçam se tornar realidade ou haver uma possibilidade de se tornar realidade. A pessoa pode não conseguir dormir e não comer, ou o contrário comer absurdamente demais e dormir tbm, roer unhas (meu caso) e não conseguir realizar operações simples como ir na rua, cortar um cabelo, sem ter de se convencer que vai ficar tudo bem. Isso não é frescura e não se resolve simplesmente com a nossa vontade. Até porque ninguém em sã consciência (e até sem ela) deseja sentir esse tipo de coisa.

Costumo falar que sofrer de ansiedade é como viver com uma sombra. Tem dias que você nem a percebe, tem horas que parece que sumiu. Mas tem horas que você está estendendo uma roupa no varal ou lendo um livro ou até fazendo algo mais divertido e você se assusta com aquela sombra que você tinha se esquecido. E tem horas que dependendo do foco da luz e da posição dela a sombra cresce e parece um monstro que vai te engolir.

Nunca romantize ansiedade. Nunca menospreze a ansiedade ou quem sofre dela. Ela não é bonita e nem legal. Ela machuca e dói em quem a sente, porque se manifesta de modos diferentes em diferentes pessoas.

E isso é só um desabafo.

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

[RESENHA] Amante eterno - J. R. Ward


Nas sombras da noite em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma sórdida e cruel guerra entre os vampiros e seus carrascos os redutores. Há uma irmandade secreta, sem igual, formada por seis vampiros defensores de sua raça.
Possuído por uma besta letal, Rhage é o membro mais perigoso da Irmandade da Adaga Negra. É o melhor lutador, o mais rápido a reagir e o amante mais voraz, porque em seu interior arde uma feroz maldição lançada pela Virgem Escriba. Possuído por esse lado sombrio, Rhage teme constantemente que o dragão dentro de si seja liberado, convertendo-o num perigo letal para todos à sua volta.
Mary Luce, uma sobrevivente de muitas adversidades, entra de maneira involuntária no universo dos vampiros, contando apenas com a proteção de Rhage. Concentrada em combater sua própria maldição, potencialmente mortal, Mary não está em busca de amor e perdeu sua fé em milagres tempos atrás. Mas quando a intensa atração animal de Rhage se transforma em algo mais emocional, ele sabe que Mary precisa ser sua e de mais ninguém. Enquanto os inimigos fecham o cerco, ela luta desesperadamente para alcançar a vida eterna com aquele que ama...

domingo, 11 de fevereiro de 2018

[RESENHA] Amante Sombrio - J. R. WARD



Nas sombras da noite, em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma sórdida e cruel guerra, entre vampiros e seus carrascos. Há uma irmandade secreta, sem igual, formada por seis vampiros defensores de sua raça. Ainda assim, nenhum deles deseja a aniquilação de seus inimigos mais que Wrath, o líder da Irmandade da Adaga Negra. Wrath é o vampiro de raça mais pura dentre os que povoam a terra e possui uma dívida pendente com os assassinos de seus pais. Ao perder um de seus mais fiéis guerreiros, que deixou orfã uma jovem mestiça, ignorante de sua herança e destino, não lhe resta outra saída senão levar a bela garota para o mundo dos não mortos. 

Traída pela debilidade de seu corpo, Beth Randall se vê impotente em tentar resistir aos avanços desse desconhecido, incrivelmente atraente, que a visita todas as noites envolto em sombras. As histórias dele sobre a Irmandade a aterrorizam e fascinam. Seu simples toque faísca, um fogo que pode acabar consumindo a ambos.

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

[DICA LITERÁRIA] A Irmandade das Adagas Negras - J. R. Ward


A saga da Irmandade das Adagas Negras é simplesmente maravilhosa! Cada livro foca em um guerreiro, porém temos desenvolvimento de todos eles. E a cada livro, a gente se apaixona por eles e pelos relacionamentos amorosos e fraternos que se desenvolvem. Ela trata de um mundo novo, com vocabulários e rituais próprios especificados logo no início de cada livro.

No universo criado por J. R. Ward, uma entidade divina chamada Virgem Escriba teve um poder de criação e criou a raça vampírica. Os vampiros são uma nova espécie paralela a nós, homo sapiens, que detém alguns poderes a mais e necessidades diferentes: 

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

[FILME] Quatro vidas de um cachorro



Não sei se já falei por aqui, mas eu amo animais. E amo tanto que choro até em documentário sobre vida selvagem porque comeram a foca... Ou torço pela baleia no filme Orca, a Baleia Assassina... Ou sou capaz de desistir de séries por que mataram animais nos primeiros capítulos (O Rick tinha de tirar o cavalo do celeiro dizendo que ia ficar tudo bem e levá-lo pro meio da horda de zumbis, né?! grr... ou a Lady de GOT). Mas, voltando ao assunto, filmes com animais, principalmente cachorros, têm o costume de me derrubar emocionalmente. E esse não foi diferente...
"Um cachorro morre e reencarna várias vezes na Terra. Embora encontre novas pessoas e viva muitas aventuras, ele mantém o sonho de reencontrar o seu primeiro dono, que sempre foi seu maior amigo."