sábado, 27 de junho de 2009

Explicando o filme Speed racer


Hoje eu estava vendo pela segunda vez o filme "Speed Racer"... muitos vão olhar isso e dizer: Que falta do que fazer! Ou, Mais um filme sem conteúdo nenhum. Eu consegui achar muita coisa interessante até mesmo histórica/ filosófica esse filme... Não! Não sou maluca! Por isso, eu estou passando para esse blog uma resenha minha a respeito desse filme... É interessante, confesso, voei muito na hora de escrevê-la, mas eu realmente vi isso tudo naquele filme!
Lá vai!

EU VI SPEED RACER! - Minha frase predileta logo após o término do filme.
Basicamente o filme conta história de Speed Racer, um jovem piloto de corridas de carros - que mais se parecem um "vale-tudo automobilístico" - marcado pela tragédia da morte do seu irmão mais velho Rex Racer num acidente em uma corrida e que após uma corrida espetacular recebe propostas de patrocínio de super empresas. Ao recusar uma grande proposta, acaba entrando numa luta contra os cartéis de corridas carros (que definem os resultados, e transformam tudo em lucro para si), e para tentar vencer, ele vai contar com a ajuda do investigador e, de ninguém mais ninguém menos que o Corredor X.

O Corredor X merece um parágrafo a parte. Não só porque ele sempre foi o meu personagem favorito, nem por causa de seu intérprete ( Matthew Fox - o "Jack" de Lost e o "Charlie" de Party of Five), porém pelo fato de que ao aparecer, ele simplesmente rouba a cena. Com sua personalidade misteriosa, o "Arauto das Batidas" como é apelidado, quando entra numa corrida, entra para ser percebido. Descobrimos que ele trabalha com a CIB - órgão investigativo do filme/desenho - a fim de desmantelar os cartéis. Além de pilotar carros de maneira fantástica e lutar com ninjas, ele mostra ser o personagem mais humano e com grandes conflitos relacionados ao seu passado por dentro da máscara e do jeitão durão e sarcástico.

A família Racer é algo digno de um comentário. Com suas brigas e seu modo de viver, o elemento caracterizador é o Amor. Entre pais e filhos, entre irmãos, entre a família no todo. Dentro desse item ainda, não podíamos deixar de falar de dois outros personagens que roubam a cena também, porém ao proporcionarem altas gargalhadas que são O Gorducho e o Zequinha. A Trixie apesar de pouco explorada, traz momentos hilários como ao protagonizar uma DR com Speed no meio de uma corrida.

Meu lado historiadora não poderia ficar de fora. Mesmo com tantas luzes, efeitos visuais excelentes (e pirotécnicos), uma sessão nostalgia ao lembrar do desenho, e admiração feminina pelo Racer X (não pude evitar!) meu lado CDF acadêmico conseguiu se manifestar e perceber detalhes que nem eu sabia que poderia notar (Estou evoluindo!!! kkkk)

Bem... comecemos com a análise básica de que é um filme dos irmãos Wachowsky e que eles sempre incutem algo de filosófico e político em todos os seus filmes. E nesse, não podia ser diferente. Como falei antes o filme trata da luta de Speed Racer contra os cartéis. Cartéis nada mais são do que uma imagem perfeita do capitalismo. Empresas que controlam e detém verdadeiros monopólios a fim de gerar cada vez mais lucros, criam pseudo-concorrentes somente para gerar lucros para si e mais transformam tudo, seja o prazer de se fazer algo ou os anseios de vencer numa corrida, num sinonimo de lucro, dinheiro e poder... para si. O filme traça desde o seu início uma crítica ferrenha ao sistema capitalista que é o mesmo que negocia, gere e manipula (com meios altamente desonestos) os sistemas de corridas do filme. Speed Racer e o Corredor X encarnam as figuras da resistência. Pessoas que amam o que fazem e se vêem obrigados a arriscar suas vidas em prol de destruir essas empresas que simplesmente os obrigam a se vender para sobreviver. Apesar de terem objetivos comuns, os dois fornecem a visão dos dois tipos de resistentes. Speed que luta na cara e coragem, com a ajuda de sua família e consegue outros aliados de peso durante o filme e vence.. mostrando haver uma esperança contra o sistema imperante; e o Corredor X que se vê obrigado a tomar decisões duras que mudam a sua vida para sempre, para lutar e proteger a pessoa que realmente importa... Speed Racer. Para quem já via o desenho entende a decisão, para quem não via e não sabe... assistam o filme... é extremamente emocionante a história de vida desse personagem.

Concluindo. O filme é sim um filme pipoca, divertido demais, eletrizante (literalmente), nostálgico, consegue ser em vários momentos melhor que o desenho. Além de fazer você rir, chorar, se apaixonar e (se você for igual mim) pensar: Existe meios de se fazer o que você realmente ama sem morrer de fome, ou sem ter que passar por cima de seus valores? Speed acha que sim. Racer X também. Engrosso o coro dizendo que devemos ter esperança.
Termino cantando a música clássica do desenho que foi remixada para o filme: GO SPEED RACER!!!!"

2 comentários:

Leandro disse...

Belo post. Linda reflexão. Acabei de ver o filme e não esperava já encontrar comentários tão pertinentes.

"Não importa se a corrida nunca muda. O que importa é se deixaremos que a corrida nos mude." (Racer X)

Wilian disse...

Sa,ótimo post.Me deixou com mais vontade de assistir o filme!Adoro esses filmes/desenhos/séries/livros com apelos filosóficos,que nos fazem parar pra pensar e analisar.Vou assistir Speed Racer!

Postar um comentário