quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

A Batalha do Apocalipse - Eduardo Spohr


"A espada não vive sem o querubim e o querubim não vive sem espada"


Após a criação do Universo, Deus se retirou para o Monte Tsafon e lá repousou, esse longo período que dura até os dias de hoje foi chamado de "O Sétimo Dia", na ausência do Altíssimo fica a cargo dos Arcanjos guiar a humanidade e governarem no céu até que chegue o dia do ajuste de contas quando Deus despertará para julgar os ímpios e recompensar os justos, o dia do Apocalipse.

Contudo, Miguel, o Principe dos Anjos, movido por inveja e odio pela humanidade orquestra inúmeros massacres contra os mortais na intenção de aniquilá-los. Indignado e movido pela honra, Ablon, o Primeiro General se rebela contra os atos genocidas de seu monarca, iniciando a primeira insurreição no palco celeste, mas, ao confiar na Estrela da Manhã, Lúcifer, fora traído e teve sua rebelião delatada, assim Ablon e seus seguidores foram banidos, amaldiçoados a vagar pela Terra até que tenha chegado o fim dos tempos...



***

Olá pessoal, estou outra vez aqui trazendo mais um pouco da cultura nerd, então agora que já leram a sinopse queria dar minha opinião a respeito dessa obra que já é um sucesso de vendas, a bola da vez é "A Batalha do Apocalipse", e quero deixar claro que ainda não terminei de ler o livro e nem se eu quisesse poderia deixar algum spoiler escapar, então vamos lá!

O livro é de autoria de Eduardo Spohr, sim, é um brasileiro... Não se surprenda nem sucumba ao ceticismo, é uma obra de fantasia sem igual entre os livros nacionais, nela acompanharemos desde a queda de Lúcifer ao Dia do Juízo Final (e não é o juízo que a mamãe manda ter no carnaval), levando uma temática religiosa ele aborda seres que sempre causam curiosidade em nós, mesmo naqueles que não acreditam, os Anjos e Demônios (não lembrou o livro não né?kkkk), então prosseguindo... A história narrada leva você a muitos lugares históricos como a Babilônia, a Muralha da China, entre outras localidades super interessantes, tudo isso seguindo os passos de Ablon, o renegado, que por sua vez é personagem de peso, apesar de sua estrutura imutável explicada por ele mesmo, o Primeiro General é um Querubim, casta de anjos guerreiros, e ao contrário dos homens que possuem livre-arbítrio ele está fadado a seguir sua natureza, os princípios e instintos de um soldado, que tornam ele um herói sem igual. Outra característica do livro é a presença de um estilo que lembra rpg (um tipo de game) ou mesmo animes, isso torna tudo mais épico ainda, e pode-se esperar lutas cinematográficas de ponta.

Acho que já falei o suficiente para vocês terem uma idéia do que os espera caso tenha vontade de ler essa obra... Se vale a pena? Muitíssimo! 

Por Lohan Nobre


3 comentários:

Carissa Vieira disse...

Está na minha lista faz um tempinho.
Comecei a ler, mas não pude terminar. Até onde li adoreia a narração do Sporh.


bjs
Carissa
http://artearoundtheworld.blogspot.com

Vanessa Vieira disse...

Parabéns pela resenha Lohan! Já li A Batalha do Apocalipse e curti bastante. Abraço!

Lohan Nobre disse...

Muito obrigado pelo elogio...

Postar um comentário

Conte o que você achou da postagem