terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Devil May Cry



Devil May Cry, esse nome lhe faz lembrar de um sujeito de cabelos brancos e sobretudo vermelho com um inexplicável vício por pizza e sunday de morango. Contudo, não dessa vez. O reboot da franquia do caçador de demônios causou muita polêmica, trazendo um Dante  de cabelos negros e visual punk completamente diferente do Dante que conhecíamos, mas essa não é a única mudança que o game apresenta... Mas vamos falar sobre isso depois.

Com essa nova roupagem a trama em si também é completamente nova. Tudo começa quando Mundus e Sparda, dois demônios poderosíssimos se estabelecem na terra com o plano de controlar o mundo e escravizar a raça humana. Sparda, contudo, se apaixona por uma mulher-anjo e juntos acabam tendo dois filhos... Dante e Vergil, dois Nephillins, os únicos seres capazes de derrotar o rei demônio, e também tio deles. No entanto, Dante desconhece seu passado, sua infância, assim como a existência de seu irmão, mas ele não é o único a não saber sobre Vergil, Mundus também acredita ser Dante o único Nephillim com quem deve se preocupar.

Neste reboot tão controverso, Dante possui o visual diferente, mas não só isso, ele tem uma personalidade diferente também, o novo Dante é mais rebelde e selvagem, vivendo sem regras, tentando não enlouquecer, por isso se afoga nas bebidas e na lascívia lutando contra si mesmo, contra sua natureza e contra demônios que o caçam pela terra.

Minha opinião sobre isso é: gostei demais... Essa nova roupagem traz um Dante mais humano (apesar da natureza anjo-demônio, diferente do antigo Dante, que era metade homem, metade demônio.), sendo o protagonista uma metáfora que representa os humanos. Todos temos um lado mal e outro bondoso, cabe a nós decidir qual lado seguir, assim como Dante. As soluções arrumadas pela personagem para enfrentar a vida são também parecidas com algumas que certos homens e mulheres tomam, decisões erradas, porém a todos é dado a chance de lutar contra isso, a chance de redenção. Essa natureza extremamente humana da personagem é um fator importante para criar um elo entre o jogador e o protagonista, fator essencial pra fazer um jogo cair no gosto do público.

Outra coisa muito importante é a jogabilidade, e isso Devil May Cry tem e muito. A sua disposição está um verdadeiro arsenal, nele você pode encontrar desde Espadas, Machados à Pistolas. Logo você pode combinar vários golpes de inúmeras armas, criando várias sequências distintas que podem destruir seus oponentes. Você tem que ser esperto pra criar essas combinações, pois cada inimigo reage de maneira diferente, tem habilidades diferentes... Existem inimigos que só sofrem sobre ataque de armas de fogo, outros, sobre armas de gelo, e muitos vezes esses dois tipos de monstros diferentes aparecem ao mesmo tempo fazendo-o ter que se virar nos trinta pra poder destruí-los!

Além das lutas também há o cenário que lhe impõe vários desafios para cruzá-lo, suas armas também servem para se mover pelo ambiente,  servindo de gancho entre outras coisas.

Acho que já falei o suficiente sobre o jogo, pincelando as principais característica e dando uma sinopse a respeito da história. Agora vocês devem decidir se vale a pena ou não jogar esse título de sucesso.

Por Lohan Nobre 

2 comentários:

caroline disse...

Eu jogava com um amigo meu! Sou moleca quando o assunto é videogame haha

Beijos,

Caroline, do Criticando por Aí.

Lohan Nobre disse...

Bom saber que existe mulheres assim! =)

Postar um comentário