terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Cidade das Cinzas - Cassandra Clare


Clary Fray só queria que sua vida voltasse ao normal. Mas o que é “normal” quando você é uma Caçadora de Sombras assassina de demônios, sua mãe está em um coma magicamente induzido e você de repente descobre que criaturas como lobisomens, vampiros e fadas realmente existem? Se Clary deixasse o mundo dos Caçadores de Sombras para trás, isso significaria mais tempo com o melhor amigo, Simon, que está se tornando mais do que só isso. Mas o mundo dos Caçadores não está disposto a abrir mão de Clary — especialmente o belo e irritante Jace, que por acaso ela descobriu ser seu irmão. E a única chance de salvar a mãe dos dois parece ser encontrar o perverso ex-Caçador de Sombras Valentim, que com certeza é louco, mau... e também o pai de Clary e Jace. Para complicar ainda mais, alguém na cidade de Nova York está matando jovens do Submundo. Será que Valentim está por trás dessas mortes? E se sim, qual é o seu objetivo? Quando o segundo dos Instrumentos Mortais, a Espada da Alma, é roubada, a aterrorizante Inquisidora chega ao Instituto para investigar — e suas suspeitas caem diretamente sobre Jace. Como Clary pode impedir os planos malignos de Valentim se Jace está disposto a trair tudo aquilo em que acredita para ajudar o pai? Nessa sequência de tirar o fôlego da série Os Instrumentos Mortais, Cassandra Clare atrai os leitores de volta para o lado mais obscuro do submundo de Nova York, onde amar nunca é seguro e o poder se torna a mais mortal das tentações.



A continuação de Cidade dos Ossos foi simplesmente perfeita. Não existe outro adjetivo possível para esse livro. Li em apenas dois dias e demorei tanto assim porque comecei pela internet, depois uma amiga me emprestou até o meu chegar... A saga em si é sensacional e esse momento intermediário da trilogia foi escrito de maneira clara como a primeira e com muita ação. Nenhum aspecto foi ignorado. Tem momentos cômicos, tem romance e tem aqueles momentos que te deixam sem ar e sem poder parar.

A história continua alguns dias depois dos últimos eventos do primeiro livro. Valentim havia fugido com o Cálice Mortal e não querendo apenas isso, volta em busca do segundo Instrumento Mortal – A Espada da Alma – que além de certificar que o Nephilim diz a verdade é capaz de invocar inúmeros demônios para a dimensão do real. Além disso, o vilão transforma a vida de Clary e Jace num inferno sem fim, afinal a circunstância de filhos de Valentim não é uma marca agradável e o fato de serem irmãos transforma a paixão dos dois em algo impossível de acontecer.

Um novo personagem é introduzido na trama: a Inquisidora. Uma Nephilim que teve a vida arruinada durante a Ascensão, quando seu filho foi morto por lutar pelo Ciclo e sua nora grávida se matou de infelicidade. O ódio que essa senhora tem de Valentim é intenso e a transforma em alguém implacável e gélida ao lidar com a suspeita de que Jace havia ajudado o pai durante todos esses anos e que estaria apoiando sua luta contra a Clave. É uma personagem que te dá ódio no decorrer de todo o livro e que, ao mesmo tempo, te dá pena por conseguir entender o motivo de tanta raiva.

Cassandra Clare escreve de uma forma interessante. Ela consegue descrever os momentos de luta com habilidade, e também consegue expressar os sentimentos de cada personagem intensamente. Na literatura estrangeira, poluída por 50 tons de cinza, a autora cria um casal de muita profundidade. Você é quase forçado a aceitar o incesto tamanha pureza e grandiosidade do sentimento que os une. E a direção que ela toma é arriscada, contudo Clare sai bem sucedida ao criar também um ship gay – Alec e Magnus – de forma sutil e bem delicada. Sem forçar barra.

Super indico essa leitura para qualquer pessoa de qualquer idade.

3 comentários:

Carissa Vieira disse...

Gostei mais do que do primeiro livro. Apesar de não gostar muito do Jace, eu até gostei dele nesse livro, rs.
E realmente, você chega a quase torcer pelo incesto. kkkk Que horror!
Bjs

Monique Melo disse...

Olá! Eu adoro a série toda! Sempre fico boba com a capacidade da Cassandra tratar seus casais com tanta profundidade e eu adoro o ship gay! rsrsrs Também acho a trama muito bem desenvolvida e sempre li os livros rapidinho por conta da minha ânsia em saber o que mais ia acontecer. Creio que você vai amar Cidade de Vidro. Bjos

Vanessa Vieira disse...

Parabéns pela resenha! Já li Os Instrumentos Mortais e curti bastante. Abraço!


www.newsnessa.com

Postar um comentário