quarta-feira, 13 de junho de 2012

[FILME] Gigantes de Aço



A história se passa em 2020, quando o boxe humano foi proibido e robôs humanóides pesos-pesado assumem o espetáculo. Neste contexto estão um pai (Hugh Jackman) e seu filho (Dakota Goyo), que treinam um robô para ser um campeão. O problema é que eles só conseguem acesso a peças de baixa qualidade, o que prejudica suas chances - até que descobrem um robô descartado que vence sempre, chamado Atom.

Eu defino esse filme como uma mistura de Rocky (o primeiro do Silvester Stallone), Falcão - o campeão dos campeões (também do Stallone) e Transformers. A sensação é que estavam fazendo uma maratona dos filmes do ator eternizado por Rambo, e de repente alguém pensou: "Cara! A gente podia fazer essa história com robôs, né?" E o outro virou e completou a idéia: "E pra ficar fofo, a gente coloca aquele tema nunca saturado de relação pai e filho" e assim o filme nasceu! Piadinhas a parte, é de conhecimento público que o filme bebeu muito da saga do boxeador conhecido como Garanhão Italiano (apesar da boca torta...). Inúmeras são as referências e semelhanças, citadas em entrevistas pela própria equipe de produção e direção.

Mas isso não quer dizer que ele seja ruim. Ele não é! É fraquinho, clichê e previsível. Mas quem se interessa por isso? Ele tem emoção! Não é um filme vazio. Existem algumas películas que tem roteiros inteligentes, mas acabam se transformando em filmes blasé. ruins. Apesar do diretor não ser um bam bam bam (o cara fez 'Uma noite no museu' que pra mim não conta!), e roteiristas não muito famosos também. Ele contou com o carisma e talento transbordante de Hugh Jackman! Ele se transforma no ex-boxeador completamente endividado que trabalha com robôs e não quer saber do filho que teve com uma ex-namorada. Quando a mãe do garoto morre, ele tem que passar um tempo com o pai e a relação deles se estreitam a partir da paixão do menino para com as lutas robóticas. O menino é muito inteligente e esbanja simpatia e carisma na tela dividindo bem a cena com um ator do porte de Jackman. No elenco também está a diva Evangeline Lilly! Não conhecida no mundo cinematográfico, ela é e sempre será reconhecida pela legião de fãs que assistiram pelo menos um episódio de LOST como Kate Austen. E não está mal não!!! Divide a tela numa boa e de maneira brilhante. Ali, não me lembrei em momento algum da Kate. E o que dizer do Atom???? Apaixonante!!!

Algo que também gostei foi a mensagem: Com vontade e estratégia certa se vence tudo. Muitas vezes nos afogamos em problemas e por não ver nada além deles, não conseguimos elaborar um plano de fuga melhor. E nesses momentos, a ajuda vem de lados inesperados. A vontade é a nossa principal arma e escudo. Agarrando-se a ela tudo é possível. Achei uma boa lição... rs

É um ótimo filme pipoca! Daqueles que você não espera muita coisa, mas que te deixa sorrindo no final. Aquela sensação de que foram bons minutos sentada na cadeira, ou deitada na cama. Não há arrependimentos. Pode até dizer que o filme é bom. Sabendo que é fraco, você releva tudo, porque serviu ao seu propósito. Divertir, entreter e distrair! Catarse realizada, serviço completo. Ou seja, recomendável SIM!

Nenhum comentário:

Postar um comentário