sábado, 9 de julho de 2011

Ponto Final - Match Point

Chris Wilton (Jonathan Rhys-Meyers) é um jogador de tênis profissional que, cansado da rotina de viagens, decide abandonar o circuito e se dedicar a dar aulas do esporte em um clube de elite. É lá que conhece Tom Hewett (Matthew Goode), filho de família rica que logo se torna seu amigo devido a alguns interesses em comum. Convidado para ir à ópera, Chris lá conhece Chloe (Emily Mortimer), irmã de Tom. Logo os dois iniciam um relacionamento, para a alegria dos pais dela. Só que Chris fica abalado quando conhece Nola Rice (Scarlett Johansson), a bela namorada de Tom que não é bem aceita pela mãe dele.


De um diretor amado pela crítica, como Woody Allen, eu esperava um filme inteligente.

Não me decepcionei nesse quesito. O filme como um todo, tem uma direção belíssima! As cenas foram todas muito bem filmadas, incluindo as de sexo. Os atores muito bons e a história muito bem conduzida, com ótimos diálogos, interpretações primorosas e um final inteligente, criativo e frustrante por demais...

Frustrou-me pelo enredo, sabe? Eu esperei uma coisa do trailer, mas não era bem aquilo. Frustrou-me por que pelo trailer parecia que eu ia gostar do protagonista, mas essa não era a intenção do filme. Desde o início, eu odiei o Chris! Ele era um personagem que citava as artes, vindo debaixo e em ascenção como tenista. Ganha a simpatia e o acolhimento de uma família riquíssima da Inglaterra e bem simpática até e se interessa pela noiva do amigo, filho do patriarca dessa tal família. E ele não só se interessa! Ele nem tenta evitar... ele corre atrás da personagem da Scarlett Johanson ao mesmo tempo que está pra casar com a irmã do cara! Só que as coisas desandam de uma tal maneira que eu cheguei a ficar feliz por vê-lo se dar mal...

Eu não vou contar mais porque qualquer informação mal dada spoleia o filme por um todo e a graça e você chegar no filme e sentir a sensação frustrante mais deliciosa que já vi em um filme...

Só digo uma coisa, que é o lema do filme: ”Prefiro ter sorte a ser bom.”

Nota: 9,0

5 comentários:

Nathália Zabel disse...

Eu já vi esse filme a tanto tempo que nem posso dar uma opinião sobre ele. Definitivamente preciso ver novamente, adoro a Scarlett, acho ela uma ótima atriz!
Eu já odeio ver trailers de filme para não me decepcionar, eles colocam muitas cenas que acabam nos fazendo saber o que acontece do começo ao final do filme. Além de às vezes nos passarem esa idéia de ser um filme fantástico, mas ser mais pra meia boca hahaha
beijo!

Miss Carbono disse...

”Prefiro ter sorte a ser bom.” - realmente, essa frase diz tudo sobre o filme!

Concordo com vc, é um pouco frustrante algumas coisas que acontecem no filme mas, de uma maneira geral, gostei bastante dele - acho que foi um dos primeiros do Woody Allen que eu assisti e gostei, apesar de as vezes ter vontade de entrar no filme e dar uns tapas no personagem principal kkkkk

Respondendo seu comentário lá no blog... Também detesto quando usam ETs para explicar a origem de algo sobrenatural, acho tosco e me desanima também.

teh mais

Lu disse...

aii, adorei sua resenha, fiquei com vontade de ver o filme só para ver o Chris se ferrar, hahaha.

beijos

Marcelo Lima disse...

Prefiro ser bom ! - Sorte vai e vem ") Resenha mara sa. Tem promo nv la no gossinp XO.

Beatriz Gosmin disse...

Nunca assisti a esse filme, ams agora to curiosa!
Beijs!

Bia | Blog Livros e Atitudes

Postar um comentário

Conte o que você achou da postagem