segunda-feira, 13 de junho de 2011

"O Amor Jamais Acaba"

Ontem foi uma data comemorada aqui no Brasil como o Dia dos Namorados, porque é véspera do dia do santo casamenteiro Santo Antônio. Enquanto o resto do mundo vive suas vidas normalmente por já ter comemorado a data do amor no dia de um outro santo chamado São Valentim, nós brasileiros curtíamos o nosso dia de gastar nas lojas e fazer os empresários e comerciantes felizes por enriquecerem as nossas custas.

Nesse momento, todos que começaram a ler esse post começam a pensar que eu sou uma solteirona que passou o dia dos namorados sozinha e abandonada numa casa cheia de gatos, mas não! Apesar de todo traço de mau-humor que aparentou existir com relação a data no primeiro parágrafo eu tive um ótimo fim de semana com meu baby. Porém, fico incrivelmente incomodada com essa noção que as pessoas explicitam durante um dia específico dedicado a um tema sobre o Amor.

A maior parte das pessoas atualmente se contentam em simplesmente curtir. Curtir enquanto dá, casar até tudo ainda estiver bem. A frase que entitulei o post pode ser encontrada na Bíblia no livro de I Coríntios, porém as pessoas dizem que isso é besteira. Eu digo que besteira é essa supervalorização de sensações que na verdade não são de amor. São de sentimentos como obsessão, paixão, porém não amor. E como eu sei o que é amor?

Eu não sei. E duvido que alguém o saiba. Apesar da minha mente incrivelmente racional para uma mulher, não consigo definir o que é precisamente o amor. Além de substâncias como endorfina, adrenalina entre outros hormônios que o corpo produz gerando sensação de bem-estar, o amor está muito mais ligado a duas outras palavras ainda mais importantes que ele: Companheirismo e Compromisso.

O que te faz ficar casado não é o amor passional ou o bom sexo ou a falta de problemas, porque é impossível! Mas a frase é verdadeira, sabe por que? Por que o amor é muito amplo, assim como a vida. Ele não permanece estático e imutável como esperamos que assim o faça, ele muda. Ele muda como nós mudamos. Não temos as mesmas reações de ontem, pelo contrário, mudamos rapidamente e isso se reproduz em nossas ações. Por que não se refletiria no amor? Na relação a dois?

Quando somos crianças amamos nossos pais porque nos protegem e são pessoas sem defeitos, quase super heróis. Conforme crescemos, continuamos amando nossos pais não por serem indefectíveis, mas por serem tão humanos como nós. A vida a dois deveria ter o status de compromisso. Por vezes se briga e por um momento definitivamente não amamos aquela pessoa, mas somos comprometidas com ela. E depois de um tempo voltamos a nos sentir bem com a pessoa.

Não devemos ter medo de sentir as transformações de nossos sentimentos. O amor jamais acaba, ele apenas se transforma, se desenvolve, amadurece e se renova. E no momento em que tivermos coragem de dizer "eu te amo" para alguém não devemos simplesmente dizer isso da boca pra fora, mas dizer como marca de um compromisso de suportar e principalmente respeitar a outra pessoa. Por que isso, sim, é o amor!

5 comentários:

Miss Carbono disse...

"Tudo tolera, tudo crê, tudo espera e tudo suporta. O Amor nunca falha."
Esse trecho é do mesmo texto de corintios que você citou. Acho esse capitulo uma das definições mais lindas para o amor e é ainda mais bonito por estar na biblia =]

Ótimo texto.


teh mais

Lu disse...

lindo o seu texto, também gostei da parte que a Miss citou.

Não ligo para datas comemorativas, acredito que o dia dos namorados são todos os dias. ^^

beijos.

Carissinha disse...

Concordo com tudo, Sa.
E realmente o texto de Corinthios é talvez o mais perfeito que já li sobre amor. Engraçado que sábado eu falei desse texto.

Adoro o jeito como você escreve.

Beijos!!

coral disse...

È verdade, o amor jamais acaba. Isso é muito profundo, entender o amor é difícil, porque quando nós achamos que não existe mais amor no relacionamento a dois, de anos, aí percebemos que existe uma amizade muito grande.Porque passamos a
sentir falta daquela pessoa, das suas atitudes, brincadeiras,etc. e aí nos perguntamos ainda existe o amor ou se é pura amizade?

Radige Hanna disse...

Concordo com o que disse.
Para mim o amor não é simplesmente este sentimento abstrato que as pessoas dizem para alguém que não conhecem nem a uma semana.
O amor é convivência, respeito e carinho.

Abraço.

Postar um comentário

Conte o que você achou da postagem