sábado, 9 de março de 2013

Filhos do Eden - Herdeiros de Atlântida (Resenha)



"Há sentimentos mais fortes que a dor e a perda, pelos quais vale a pena viver"


Há uma guerra no céu, as legiões fiéis a Miguel, o Príncipe dos Anjos, se digladiam contra as forças de Gabriel, o Mestre do Fogo, transformando as regiões celestes num verdadeiro campo de batalha. Foi contudo decretado um armistício na terra, uma paz frágil prestes a cair. É nesse contexto que Urakin e Levih, integrantes do exército rebelde, vão ao mundo dos homens numa missão de resgate, o objetivo é encontrar e dar continuidade a missão de Kaira, uma capitão das tropas de Gabriel, desaparecida há dois anos. Ao encontrar Kaira no entanto logo perceberam que ela não possuia memórias de sua natureza celeste, mas vivia como uma humana comum. Envolvidos numa conspiração capaz de por em risco o equilíbrio das forças, eles terão descobrir uma maneira de reaver as lembranças da Ishin, e por fim fazer o necessário para impedir os planos maléficos de Andril, um arconte de Miguel.

>>>

Eu já havia falado antes aqui sobre o livro "A Batalha do Apocalipse" de Eduardo Spohr, nesse caso, para quem leu a obra, vai ter a chance de continuar vivendo as aventuras do universo criado pelo autor no livro anterior, contudo, "Filhos do Éden" não é sequência direta de "A Batalha do Apocalipse", mas sim uma expansão, pra falar a verdade a história passada nessa série ocorre antes dos acontecimentos vividos por Ablon no fim dos tempos. Os personagens também mudaram, você acompanhará a jornada de Kaira, Urakin, Levih e Denyel, o exilado. A história em sim também toma outra forma, em vez de estar focada num grande evento, ela nos traz um história mais intimista e de menor escala e ao contrário do que se pensa, ela é ainda mais dinâmica do que o livro "A Batalha do Apocalipse", mantendo um ritmo capaz de te manter grudado as páginas sem parar por nada.  Sobre os personagens, eles também foram construídos de maneira diferente, são mais humanizados, cheios de dilemas e falhas que ajudam a nos identificarmos com eles, ao contrário de Ablon e outros da primeira obra, que muitas vezes parecem perfeitos demais, assim como o Superman, todo certinho e poderosíssimo. 

Minha opinião é que Filhos do Éden consegue ser melhor que o livro anterior, apesar de possuir uma escala menos épica, mas ao jeito que o autor trata os personagens e  a resolução de seus dilemas é muito mais pessoal e profunda. Temos Kaira, uma celestial presa a vivência humana e incapaz de usar plenamente seus poderes, assim como se livrar dos sentimentos relacionados a carne, há também Denyel, um sujeito que faz o tipo de Anti-Herói, sujo e cafajeste, acusado pelos membros de sua própria casta de perdido sua honra. Alias, esses dois personagens formam o casal da história, e possuem uma relação muito bem trabalhada, complicada e divertida, estão sempre discutindo, Denyel é cheio de vícios humanos e demonstra uma personalidade amarga, própria das pessoas que já viram e fizeram muitas coisas ruins na vida, ainda assim ostenta um heroísmo sem igual, já Kaira, é valente e cheia de princípios e muitas vezes isso faz com que entrem em conflito, isso dá uma riqueza ao casal, que apesar de não tão original, funciona muito bem. A ação também é muito mais frequente, sem exagero, e os flashbacks não quebram o ritmo da narrativa, o que ocorre no "A Batalha do Apocalipse".

Se vale a pena??? Sim, vale muito! Eduardo expande o universo de sua obra de maneira magistral, e a trama também mantém a qualidade. Leiam Filhos do Éden! 


Por Lohan Nobre 

3 comentários:

Eduardo Spohr disse...

Olá, Lohan.

Muitíssimo obrigado pela resenha. Que bom q gostou dessa primeira aventura da série "Filhos do Éden" :)

O próximo, "Anjos da Morte", sai agora em abril. Fico na torcida para que curta tb.

Um abraço e qualquer coisa vc me encontra pela web,
Eduardo

Lohan Nobre disse...

Primeiramente, gostaria de agradecer ai pela força! rsrsrs... Primeiro comentário da resenha foi do próprio autor! Muito bom! Melhor impossível! rsrsrs E é claro que vou curtir "Anjos da Morte", sinto que vai ter um atmosfera própria. E assim que lançar, vou ler e fazer uma resenha aqui! =)


Nos vemos por ai!


Lohan Nobre

sajater disse...

O Lohan me emprestou o livro e me incentivou a iniciar minha leitura do ambiente criado por Eduardo Spohr. E de verdade eu não me arrependi. Devorei o livro!!! Porém ao contrário da maioria, eu li esse primeiro e agora eu estou lendo o livro "A Batalha do Apocalipse".
Amei os personagens, o Denyel é demais! A Kaira e sua interação com o exilado é muito legal de se ler... O Levih é o mais carismático na sua linha pacifista, e o Urakin é um brutamontes com coração! Amei a interação de cada um dos personagens e principalmente o fato de que parecia um autor estrangeiro... A história muito bem cuidada, e que tem toda a dinâmica de um filme...

Torço para um dia um dos estúdios maravilhosos americanos peguem esse livro e transformem no melhor filme sobre o tema porque tem muito potencial!!!



Valeu Lohan!!!

Postar um comentário

Conte o que você achou da postagem