domingo, 4 de setembro de 2011

Para Sempre Ana - Sérgio Carmach

Quando se pega um livro para ler, várias são as coisas que chamam a atenção do leitor. A primeira delas é o título, seguido pela capa, sinopse e críticas. Exatamente nessa ordem. 'Para Sempre Ana' é um daqueles livros que “parece, mas não é”. Como assim? É simples, quando se olha para o livro, vê-se um título intrigante e uma capa belíssima, seguidos por uma sinopse que, nem se fosse escrita pelo escritor mais conciso do mundo, seria capaz de sintetizar toda a complexidade da história. E é aí que a editora acerta ao colocar uma crítica na orelha do livro. Nada melhor do que alguém que leu para expor sua opinião a respeito e convocar leitores a embarcar na aventura.


A história de Sergio Carmach se passa numa pequena cidade chamada Três Luzes. O vilarejo também é um personagem importante na história, e recebeu esse nome por ter sido um lugar onde foram avistadas luzes no céu, sendo, então, apreciada por ufólogos de várias regiões. Ali, a família de Nestor Rigotti, médico de grande prestígio local, em uma tradicional reunião com importantes moradores, recebe a visita inesperada de uma mulher chamada Ana e de seu filho Caio. Porém, essa jovem carrega consigo segredos profundos do patriarca dos Rigotti, capaz de afundar na lama o nome e a reputação deste e de outros. A história segue e, a cada capítulo que passa, o leitor se surpreende com os rumos que a vida naquela pacata cidade parece tomar. Conforme segredos vão sendo revelados e pessoas vão sendo transformadas, Ana se insere na dinâmica dos moradores daquele cenário, até que desaparece sem deixar vestígios.
Após a leitura, é possível constatar como o autor foi cuidadoso na colocação de três grandes temas que vão servir como um caminho que permeia toda a história: Amor, Esperança e Humanidade. Todos os personagens são extremamente humanos, possuindo defeitos – alguns considerados moralmente graves – e qualidades. Extremos levam a ações de condutas duvidáveis, e até mesmo a doações heróicas. Tudo isso, sendo parte de uma natureza humana e imperfeita, encontra força e razão na Esperança. Esperança de ser feliz, de viver, de encontrar ou reencontrar um grande Amor. Este último mostrado de várias formas: obsessivo, egoísta, puro ou fraterno. Através desses caracteres – da sua falta ou excesso – cada personalidade vai se formando perante o leitor na sua busca pela verdade, representada na literatura por um crisântemo. Mas nunca se esqueça que cada personagem tem um jeito, um segredo, uma atitude em meio à adversidade. Todos são potencialmente capazes de tudo, pelo simples fato de serem humanos e falhos. Porém, quem teria a esperança de persistir?
O autor demonstra uma precisão em sua escrita que é fenomenal. Muitos escritores possuem o dom de criar ambientes e histórias fantásticas, mas poucos são aqueles que conseguem fazer o leitor pensar. E Carmach o faz, em meio a uma história linda e emocionante, com personagens muito reais, dando um belo desfecho a uma saga que só poderia ter sido escrita dessa forma. A presença de descrições detalhadas e o suspense se estendem até a última parte do livro, sem se tornarem enfadonhos. A ortografia e o português belíssimo e rico é o caminho pelo qual somos chamados a acompanhar Ana, que para sempre viverá dentro dos corações de quem pôde se emocionar com sua trajetória.


11 comentários:

Marcelo Lima disse...

Que resenhalinda e que livro....Entrou pra minha lista ")E não fica sumida assim , sinto falta

Lulu disse...

Nossa fiquei com vontade de ler! Vai pra minha lista da Bienal!

Caçadora de Livros disse...

Um livro místico, interessante e romântico! ^^
Desejo o maior sucesso para o Sérgio!
bjs

gabrielle matos disse...

a resenha ficou tocante e com uma curiosidade imensa de ler o livro.

Carissinha disse...

Adorei sua resenha.

É um livro muito complexo e bem escrito. Adorei cada minuto da leitura.

Espero ler outros livros do Sérgio.

Beijos!

Lenon disse...

Boa resenha, me instigou a querer ler o livro. Sem falar que autor brasileiro sempre me dá um impulso a mais para querer ler...

Patricia Ferreira disse...

Olá,
Nunca ouvi falar no livro, parece que você gostou MUITO neeh?!

Parabéns pela resenha, é realmente muito bom quando gostamos de um livro.

Bjoos, Patty
Cartas para Ficção

RUDYNALVA disse...

Sá!
Sabe, esse livro me causou muitas reflexões e pude perceber o quanto a personalidade das pessoas, são moldadas conferme as situações que passam.
Interessantíssimo de verdade porque trata do lado psicológico do ser.

Agradeço a visita no blog e seu comentário.
Confesso que não sei como se faz parcerias entre blogs (simplesmente porque nunca fiz nenhuma), entretanto, estou disposta a aprender... Se puder me enviar um email: rudynalva@yahoo.com.br
Origada.
cheirinhos
Rudy

Karen Jobim disse...

A resenha bem elaborada me faz querer ler o livro!

Parabéns pela bela escolha de palavras, Sa!

Bjsss

Matheus Paes disse...

Olá Sara,

Fazia tempo que não passava por aqui, né!?!?!?
Então, as coisas tão muito corridas, muitos trabalhos na faculdade e afins, mas agora acho que vai dar pra eu dar uma descansada, acho. Hehehe...

Ótimo texto,ótimo mesmo, Já li várias resenhas do livro do Sérigo, todas muito boas, mas a sua é uma das melhores com certeza, faz com que a gente necessite ler o livro. Parabéns!!!

Sobre a parceria por mim está ótimo!!! Colocarei o link do Munda Sa hoje ainda no Lente Critica!!

Bjs!!!

coral disse...

Sara, como sempre escreves muito bem. Pela tua resenha, convenceu-me a pegar o livro e lê-lo. Parabéns!

Postar um comentário