segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Lições sobre Ester

- Primeira lição

Apesar de ser o livro da Bíblia que não menciona Deus em nenhum momento, o livro de Ester é de suma importância para os cristãos, e principalmente, para nós jovens. A história trata de uma judia que durante o exílio, iniciado com o cativeiro na Babilônia e que durou até o reino de Artaxerxes da Pérsia, teve a oportunidade de ser rainha de um vasto e rico reino e ser considerada provisão de Deus para a proteção do Seu povo.
A importância mencionada é por conta da protagonista da história, Hadassa – o nome original e hebraico de Ester. Tratam-na como uma das mulheres mais belas e formosas da história de Israel, e quando o rei Assuero – equivalente hebraico do rei Xerxes – faz o edito em que busca escolher uma nova rainha em lugar de Vasti, essa foi uma das características principais para a escolha dela junto com outras virgens para fazerem parte da seleção. Porém, não só de beleza faz-se uma rainha. Consta na Escritura, que todas as virgens foram alojadas em uma casa e cuidadas por um eunuco – o que para nós seria uma espécie de pré-seleção. Esse eunuco se encarregaria de ensiná-las e cuidar de sua saúde, além de perceber quais eram 'melhores' do que as outras, e Ester caiu nas graças deste que começou a interceder por ela.
Ester era inteligente e provavelmente simpática. Imagina dentre centenas de virgens que foram pré-escolhidas para a seleção, Ester uma simples judia cuja família tinha sido levada cativa para Susã. Nesse primeiro post sobre o que entendo desse livro bíblico, eu gostaria de me ater ao relacionamento com as pessoas. Durante todo o livro, Hadassa é mostrada como uma jovem bonita, simples e gentil. Quando precisou ela foi corajosa e crente de que se Deus era com ela, tudo ela poderia realizar. Esse é um tipo de atitude que as pessoas esperam de nós. Não basta termos beleza, senão há conteúdo; e não basta ter conteúdo se não há simpatia. O modo como tratamos as pessoas ao nosso redor é imprescindível para que possamos galgar degraus mais altos em todas as áreas da vida, incluindo a espiritual. Pois o novo mandamento era “Amai o próximo como a ti mesmo.”, e se você pensar direitinho,vamos combinar: as pessoas mais arrogantes são as que tendem a afastar a todos e não há inteligência que os faça se sentir bem consigo mesmo.
Então a primeira lição do livro de Ester é sabermos como tratar as pessoas, a fim de alcançarmos as melhores coisas. Amar as pessoas como amamos a nós mesmos e tratá-las como gostaríamos de ser tratados é um bom passo para conseguirmos ser bem sucedidos na vida.

Um comentário:

Carissinha disse...

Amei seu post, Sa.
Engraçado que conheço a história de Ester, mas jamais li o livro inteiro. A história dela tem tanto a nos ensinar, mas muitas vezes deixamos isso de lado.

Postar um comentário

Conte o que você achou da postagem